Roteiro para quatro dias em Londres, Reino Unido



Proximidade do Palácio de Buckingham
Não importa quantos dias você dispõe para passar em Londres. Nunca será o suficiente! Isso é o que diz minha amiga Christine, ex-moradora da cidade. Atualmente ela vive em Stockton-on-Tees, bem ao norte da Inglaterra. Mas pelo menos uma vez por ano vai passar uma temporada na cidade natal.

Pois tivemos quatro dias para gastar em Londres. Um pecado e uma benção! Pois gostaria de ter mais tempo, mas a gente não pode se dar ao luxo de passar quantos dias quer em cada lugar. Tinha estudado em Londres em 1997, por isso, achava que conhecia muito da cidade. Mas a gente nunca consegue conhecer Londres por inteira, pois ela se reinventa a cada dia. London Eye nem existia! A área as margens do Tâmisa foi completamente revitalizada nestes últimos anos. E faltava mais uma série de detalhes e lugares ainda por explorar. Enfim, esses quatro dias foram suficientes apenas para matar e aguçar a saudade e vontade de voltar quantas vezes mais for possível nesta incrível cidade linda, cultural e cosmopolita.

Dia 1 - Nosso primeiro dia já foi cortado pela metade. Chegamos pela parte da tarde, deixamos as malas no hotel e saímos para explorar nosso bairro, Earl's Court, e tomar uma cerveja com fish and chips (peixe e batata frita) em um dos pubs locais. Logo que anoiteceu, tomamos o metro direto para Tower Hill, para a vista noturna de Tower Bridge, um lugar encantado.

Dia 2 – Acordamos cedo, tomamos café e pegamos o metrô direto para Trafalgar Square, para então ir para a área do Palácio de Buckingham, chegando a tempo de ver a Troca da Guarda e depois explorar o St. James Park. Dali, caminhamos até Westminster (Casas do Parlamento) e o grandioso Big Ben. Seguimos a pé, atravessando o Tâmisa, indo em direção a London Eye. Tomamos o metrô na estação de Waterloo até a estação Borough (se ainda estiver disposto, dá para ir caminhando). Fomos até Borough Market e nos deliciamos olhando as barracas com produtos orgânicos e muitas guloseimas. Aproveitamos para almoçar por lá. Borough Market tem comidas deliciosas! Após uma passada no hotel em Earl's Court, para retomar o fôlego, tomamos o metrô novamente para dar uma checada na maravilhosa Harrod's!
Dia 3 – Saímos bem cedo com destino a Abbey Road, famosa pelo estúdio de mesmo nome e gravadora oficial dos consagrados Beatles. Disputamos uma foto na faixa de pedestres! De lá, novamente entramos no buraco e fomos para o Hyde Park, onde curtimos a manhã ensolarada. Depois tomamos um ônibus e fomos visitar o Museu de História Natural, que é realmente magnífico (outros que recomendo: British Museum, Tate Modern e Madame Tusseau). Ótimo passeio para as crianças! O Museu de História Natural, como a maioria dos museus de Londres, tem entrada gratuita. Pela parte da tarde fomos a Picadilly Circus e almoçamos em Chinatown. Picadilly concentra uma grande variedade de teatros e turistas. Infelizmente não sobraram forças para um espetáculo, desta vez. Tudo bem! Ficará para a próxima. De Picadilly esticamos até Oxford Street, para dar uma bisbilhotada no maravilhoso comércio local. Recomendo uma passada na Primark (para roupas femininas, masculinas e infantis), com preços imperdíveis. E famácias Boots, para bons preços em perfumes e cosméticos.

Dia 4 – Resolvemos desacelerar neste último dia. Aproveitamos que estava acontecendo a final do torneio de tênis em Wimbledon para dar uma esticada até lá e conhecer o famoso complexo. Em dia de final os londrinos misturam-se aos turistas, vestindo suas melhores roupas. Dali, na mesma linha de metrô, descemos em Fullham Broadway, para visitar o estádio de Stamford Bridge – sede do Chelsea Football Club. Aproveitando a proximidade, tomamos o metrô até Notting Gate e fomos perambular pelo bairro de Notting Hill, onde passou o filme Um lugar chamado Notting Hill. À noite fizemos uma reserva no Little French, em Earl's Court para um jantar de despedida pelo sucesso de nossa viagem de 23 dias que se iniciou pelo Norte da Europa.

Muito ficou por ser visto, pois como disse no início desta matéria, não há tempo suficiente para Londres. Por isso, torço para poder voltar em breve!
Toques para Londres:
• O mundo é uma metamorfose ambulante. Em Londres as coisas também vem mudando, ainda que em ritmo mais lento. O inglês está dando mais espaço para os estrangeiros que fazem da cidade uma incrível mistura de etnias, refletida em sua moda, na sua comida (come-se muito bem em Londres atualmente) e no seu povo. Está rareando o tipo tradicional britânico, de chapéu e sobretudo. As famosas cabines de telefone vermelhas, agora tem sinal de wi-fi gratuito em seu interior. Acho que para não perder a utilidade... Os ônibus continuam vermelhos, com seus dois andares. Mas foram completamente remodelados. E, nem todo táxi é preto...
• Se você vai passar mais de quatro dias na cidade, compre um Travel Card para uma semana. Já será mais econômico. Para viagens diárias, compre a partir de 8.40 pounds um bilhete para dia inteiro, com transporte integrado de metrô e ônibus. Para tirar dúvidas, visite o www.tfl.gov.uk. De posse de um Travel Card, você terá desconto no transporte fluvial (barcos no rio Tâmisa).
• Quando tiver tempo, pegue um ônibus. Assim você conhecerá mais da cidade. Mas, com tempo curto, use o metrô, pois sem dúvida, assim você ganhará horas e conseguirá cumprir o roteiro acima.
• Em Earl’s Court, não deixe de experimentar o restaurante Little French, com um delicioso menu completo de entrada, prato quente e sobremesa, por um preço econômico.
• Em Londres grande parte dos museus tem entrada gratuita. Como dizem por lá, a entrada franca é “uma cortesia para a humanidade”. Por isso, não deixe de adquirir uma lembrança na lojinha dos museus. É uma forma de incentivar essa iniciativa incrível do governo britânico.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Campos do Jordão, a cidade mais alta do Brasil

O que fazer em Mambucaba - passamos o Ano Novo por lá!

Visitando Quebec, Canadá