Quarta e Quinta praia em Morro de São Paulo

Patachocas Eco Resort
Nesta matéria vamos nos ater a essas duas praias de Morro de São Paulo, pois foi por aqui que passamos a maior parte de nossa estadia de uma semana na ilha. Se existem estas duas praias, você pode imaginar que exista também a Primeira, a Segunda e a Terceira praia. Onde estivemos muito rápido apenas para uma olhada, uma refeição ou um breve passeio. Fomos seduzidos pela Quarta e pela Quinta praia de Morro, e ali queríamos ficar até o fim...

Ao chegarmos a Morro de São Paulo fomos até a praça de transportes para pegar o ônibus que nos levaria ao Patachocas Eco Resort, nosso destino. Com uma viagem de aproximadamente vinte e cinco minutos, por ruas arenosas, chegamos ao hotel. Um lugar muito tranquilo, repleto de coqueiros e barulho da natureza: o piar de pássaros, as marolas arrebentando na areia e o farfalhar de folhas ao vento. Nada mais. O paraíso!
Quarta praia: tranquilidade
No dia seguinte saímos a explorar a praia e seus encantos. Morro de São Paulo tem um fenômeno marcante nas cheias e secas da maré. Os arrecifes que protegem as praias servem de barreira para a formação de piscinas naturais, com águas mornas na alta da maré que acontece diariamente, duas vezes. Com isso, a vida marinha – dos bichos e da gente – se torna muito mais animada. Pela manhã com a maré baixa dá para andar quilômetros mar adentro – que de mar não tem nada, apenas a imensidão da praia, de areias úmidas.  A gente anda até lá na beirinha de onde as ondas quebram. E lá perto ficam poços, aprisionando os peixinhos coloridos que não conseguiram ou não quiseram sair para os perigos do mar aberto. Devem preferir ficar no aquém-arrecife, nas águas mansas e quentes que restam nas cavidades fundas perfuradas na areia. E na hora que a maré começa a subir, volta aquela imensidão de água, obrigando os banhistas a voltarem para a praia. E isso tudo pode ser vivido com plenitude na quarta praia, bem em frente ao hotel.
Manguezal divide as praias
A divisa que transpõe a Quarta para a Quinta Praia é um manguezal rico em fauna e flora. Sua vegetação finca raízes em plena areia salgada. Os caranguejos circulam protegidos pelas gigantescas raízes aparentes, competindo com uma gama de seres marinhos, como peixinhos minúsculos, caramujos com patas e aves esporádicas em busca de petiscos.

Para o turista proveniente da cidade essas mutações de marés, a rica vegetação com seus animais e a beleza extrema e selvagem do lugar é um espanto. Aliada a paisagem local, estão os barcos, as charretes (o meio de transporte mais utilizado na ilha), as bicicletas, os caiaques, e uma série de outros aparatos que 
convivem com a tranquilidade e o vagaroso tempo de Morro.

Dica gastronômica:

• A comida servida no Patachocas Eco Resort é fantástica. Basicamente regional baiana e frutos do mar. Preparada com cuidados do chef é um verdadeiro delírio para o paladar.

• Na Quinta praia há ainda uma barraca a beira mar chamada Carapitangui que serve uma comida caiçara bem gostosinha: lagostas, caranguejos, peixes e acompanhamentos. Tudo fresquinho, pescado por ali mesmo. Aqui preste atenção ao horário do movimento das marés para acessar a Quinta Praia indo pela beira mar, pois há um pequeno rio que se torna intransponível  na cheia da maré. Anotem o telefone: (75) 8346-8428, pois o dono do lugar dispõe de charretes para buscar o cliente.
Barraca na Quinta praia
  • E o restaurante da Marilyn, na Primeira praia, também é uma boa dica para degustar uma boa lagosta, com um pouco de agito!

Leia mais sobre Morro de São Paulo clicando aqui.

Leia sobre todos os destinos na Bahia consultando o índice para o estado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que fazer em Mambucaba - passamos o Ano Novo por lá!

Campos do Jordão, a cidade mais alta do Brasil

Bate-volta de Paris à Luxemburgo