Visite Veneza, Itália!

Impressões de uma brasileira em diário de uma viagem que aconteceu em maio de 1995

Por: Adriana Aguiar Ribeiro

Roteiro: Amsterdam (Holanda), Frankfurt (Alemanha), Zurique (Suíça), Innsbruck(Áustria), VenezaFlorença e Roma (Itália).

"No momento sento-me defronte a uma mesinha de onde escrevo. Ao meu lado corre um dos canais de Veneza. O solzinho esquenta timidamente e a temperatura gelada foi deixada para trás. Os termômetros marcam onze graus centígrados. Na mesa em frente, uma estudante se distrai dos livros enquanto admira o canal. Atrás, um garoto pinta gravuras venezianas em lápis de cor. Mais adiante uma senhora se limita a fazer nada, gastando o tempo reparando nos transeuntes. Observo, curiosa, o “ônibus boat” que atracou para pegar uns passageiros.
Esta manhã fui a Praça de São Marcos bem cedo. Neste mesmo ônibus. Vai parando em diversos pontos, percorrendo vagarosamente o canal. O trânsito aquático é incrível por aqui. Barcos de carga, barcos táxis, barcos ônibus, pequenas embarcações, botes e lanchas particulares. Ah, e tem as gôndolas. As mais incríveis, com os gondoleiros que, além de levar os turistas para passeios, cantam músicas italianas, acompanhadas de um acordeom.

Come-se muito bem na Itália. E ai de quem venha me dizer que não aprovou as massas italianas legítimas! Come-se o primeiro prato (massa ou sopa) e em seguida o segundo (carne e salada). Há

que respeitar a ordem.  Ontem jantamos em um restaurante bem típico e aconchegante. Pedi nhoque ao sugo no primeiro prato. Em seguida uma bisteca com salada. Restaurante para turistas, não podia deixar de ter um tocador de acordeom em busca de umas moedas.  Após as músicas, passou um pequenino chapéu veneziano, recolhendo a recompensa.
Ao passear pelas ruas estreitas cruzamos diversos canais. Ao chegar à pontinha de Veneza admiramos a imensidão do Mar Adriático. Uma linda vista! Incrível estar em uma cidade sem carros, motos, bicicletas... O silêncio é cortado apenas pelas vozes das pessoas, os pios dos passarinhos e os latidos dos cachorros.

Acho que passei meio rápido pela Piazza San Marcos. Entrei na Basílica, dei uma olhada e saí apressada. Devo estar meio cansada e ansiosa com esta coisa de ter tantos lugares novos para conhecer. Às vezes é melhor andar por aí sem destino, observando a verdadeira vida do lugar.
Veneza é bonita e simpática com suas fachadas floridas e seus varais de roupas penduradas na janela. Mas acho que seria mais bonita se seus prédios fossem mais conservados. Quem sabe não acham que quanto mais velho melhor? Pois se cai um reboco, restauram preservando a parte destruída. Gostei mais da beira dos canais de Amsterdam. Prédios muito antigos, mas bem conservados. Tudo pintado e em ordem. Sou assim... Mas não desmereço essa cidade charmosa e fantástica que me acolhe  no momento.

Vem aí, buzinando, um ônibus, pelo canal. Será que haverá uma colisão marítima?! Em seguida, duas gôndolas com senhores desportistas, quatro em cada uma, remando vigorosamente, ao estilo gondoleiro: de pé! Uma lancha parou para dar uma carona. Trata-se da moça, que como eu, escrevia em um bloco de notas, na mesa ao lado. O tráfego marítimo está ficando intenso. Deve ser a hora do “rush”!"

Clique aqui e leia sobre este roteiro na íntegra.


Para ler mais sobre a Itália:

- Gastronomia em Cagliari. Viva a Itália!
- Palermo, Itália - caminhos do Mediterrâneo.

Nota: mais tarde fui saber, por um amigo italiano, que os investimentos em urbanização e fachadas em Veneza são mínimos, já que a cidade está afundando. Quem visitar a cidade vai constatar: cada vez mais sobe o nível do mar! Pois visite, enquanto existe!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Campos do Jordão, a cidade mais alta do Brasil

O que fazer em Mambucaba - passamos o Ano Novo por lá!

Visitando Quebec, Canadá