Como chegar ao vulcão Osorno, Chile


Um dos melhores passeios que fizemos nos últimos anos foi a subida ao vulcão Osorno, no Sul do Chile. Estava apreensiva, pois tenho um problema sério na coluna, que me impõe muitas limitações. Daí, quase chegar ao topo do Osorno, foi um desafio vencido.

Durante o planejamento desta viagem ao Sul do Chile pesquisei sobre como chegar ao vulcão Osorno, para saber que existem duas opções: uma é contratar um passeio. Desde Puerto Varas há muitas vans levando turistas com destino ao vulcão. Ou subir de carro. Deste modo teríamos que descobrir tudo por conta própria. Como optamos por alugar um carro para todo o período, foi assim que fomos. A viagem aconteceu em janeiro, em pleno verão. Por isso havia neve apenas no topo do vulcão. No inverno há mais opções de atividades na montanha, como aulas de esqui e opção de Tubing (descer a montanha em boias). Mas, ir durante o verão é muito divertido e as temperaturas são mais confortáveis, apesar do friozinho.

Primeiro planejamos o passeio do dia inteiro, escolhendo as atrações que estariam mais próximas do Osorno, para aproveitar a viagem: descobrimos que o Lago Todos Los Santos e os saltos de Petrohue ficam na mesma região.

Saímos pela manhã de Puerto Varas. Uma dica é não sair cedo demais, pois o vulcão Osorno fica coberto por uma névoa que costuma se dissipar mais tarde, permitindo uma vista mais bonita. Viajamos aproximadamente 60 quilômetros até o Lago Todos Los Santos e na volta (é tudo caminho) fizemos uma parada para ver os saltos de Petrohue, antes de seguir para o Osorno. Contarei este passeio com detalhes em outro post.
Subida para o Osorno: estrada bem pavimentada
O que mais chamou nossa atenção foi a quantidade de cinzas vulcânicas (uma espécie de areia cinza) acumulada na beira da estrada. Restos ainda da última erupção do vulcão Cabulco, que ocorreu em abril de 2015. Examinando de perto, esta areia acumula pedras de diversos tamanhos, de rocha vulcânica. Vendo isso dá para imaginar o desespero de uma erupção, para os moradores do entorno de um vulcão.

Como chegar ao topo do vulcão Osorno:


Saindo de Puerto Varas, costeando o lago Llanquihue, siga em direção a Ensenada dirigindo aproximadamente 60 quilômetros. Perto do vulcão há uma bifurcação: seguindo a direita, vai para Lago todos Los Santos. Indo para a esquerda, é a direção para o vulcão Osorno.  Alguns quilômetros adiante, a direita, fica a entrada para o caminho que leva ao vulcão. Há placas no local sinalizando. A partir daí sobe-se 12 quilômetros por uma estrada sinuosa, asfaltada e bem sinalizada, até o estacionamento. O caminho tem vistas de tirar o fôlego, já que abaixo fica o lago Llanquihue, o vulcão Cabulco e o Lago Todos Los Santos. E acima está o vulcão Osorno, cada vez mais próximo.

Área de estacionamento: base com restaurantes e ponto de subida no teleférico
No estacionamento há dois restaurantes – sendo um com deck –  e ambos com aquecimento e lareira, o que torna os ambientes bem aconchegantes. Do lado de fora há uma área para lazer infantil, lojinha e o acesso para os teleféricos que levam até o topo do vulcão. Lá em cima faz frio, mesmo no verão. Por isso, não deixe de levar agasalho.

Compramos os tickets para subir no vulcão (10.000 pesos, aproximadamente 15 dólares) apenas para o primeiro plano, já que devido as condições climáticas no dia, a subida ao segundo nível estava fechada.

Estava apreensiva com a subida no teleférico, pois a cadeirinha passa direto, exigindo agilidade do viajante. Mas o pessoal foi super gentil e compreensivo e pediram para diminuir a velocidade do teleférico, o que facilitou muito.

A subida é bem alta, fria e com uma vista deslumbrante, tanto na ida – quando se tem o topo do vulcão coberto de neve adiante – quanto da volta, quando se avista toda a região dos lagos e vulcões. No primeiro plano, até onde fomos, há tirolesa e trilhas pela montanha.

No retorno, vale a pena parar para se aquecer no restaurante antes de começar a descida da montanha.

A volta é tranquila. As estradas são boas, bem sinalizadas e ainda são providas por ciclovias. No caminho há, na altura do quilômetro 34, o Onces Bellavista, que é uma bonita propriedade, no alto de um morro, com bonita vista, lhamas e um café elegante (chamam de onces) que é uma verdadeira refeição! Falarei mais no post para o Lago Todos Los Santos.

Enfim, se você for a Região dos Lagos e Vulcões, este é um passeio imperdível!
Vulcão Cabulco: erupção em 1962 e 2015
Curiosidades: apesar da beleza deslumbrante do Vulcão Osorno, que pode ser visto de praticamente todos lugares na região, a história do Vulcão Cabulco também impressionou. Antes de 2015 este vulcão entrou em erupção em 1962. O proprietário e o empregado do hotel Weisser Haus, onde ficamos, contaram que viram ambas as erupções. A última aconteceu à noitinha. Eles estavam trabalhando quando saíram e avistaram o céu, todo vermelho, em fogo. Foi quando deram conta do que estava acontecendo. Estivemos na região em janeiro de 2016. O vulcão Cabulco continuava com uma fumacinha branca saindo do seu cume. Ninguém vai lá perto, já que agora ele é considerado perigoso. A olho nu dá para ver a destruição da montanha.  Fomos informados que este vulcão é monitorado a todo momento por uma equipe de especialistas. Quem visita a região observa nas estradas as placas informando as rotas de fuga, para o caso de erupção.

Para saber mais sobre este roteiro, clique aqui.

Para ler todas as postagens relacionadas ao Chile, clique aqui.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Campos do Jordão, a cidade mais alta do Brasil

O que fazer em Mambucaba - passamos o Ano Novo por lá!

Visitando Quebec, Canadá