Visitando Marseille





Em 2008 fizemos um cruzeiro com a Royal Caribbean com parada no porto de Marseille. Na época, um amigo italiano viajou até lá para nos encontrar no desembarque. Então não nos preocupamos em saber a distância do porto até o centro da cidade, onde fica o Vieux Port (Porto Velho).

Mês passado repetimos a viagem. Não era nossa intenção rever Marseille tão cedo. Mas encontramos um roteiro marítimo imperdível, visitando cidades lindas e que incluía Marseille, nossa velha conhecida. Velha mesmo, pois Marseille é a cidade mais antiga da França. Foi estabelecida pelos gregos 600 anos a.c.


Desta vez tivemos a oportunidade de aprender que, apesar da oferta de vários tipos de transportes para a cidade, há um ônibus gratuito no porto que leva até uma saída próxima a Cathedrale de La Major, que fica a uma caminhada de 600 metros do Vieux Port.

A Cathedral de La Major já teve algumas versões reconstruídas. A primeira construção religiosa no local é do Século V. E a atual catedral, em estilo neobizantino, foi construída entre os anos 1852 e 1893. Está entre as maiores catedrais construídas desde a Idade Média.  La Major impacta o visitante com sua grandiosidade e construção em mosaicos feitos principalmente com pedra verde vinda de Florença, mármore branco de Carrara e ônix vindo também da Itália e da Tunísia. Seu interior também é muito bonito. É uma parada que vale a pena.

Dali seguimos a pé até o Vieux Port, passando pelos cantinhos bucólicos típicos de Marseille. Uma caminhada bem agradável!

Nosso próximo objetivo, que não tivemos tempo de ver em 2008, foi a Notre Dame de La Garde (La Bonne Mère). Também  em estilo neobizantino, foi construída em 1864. A localização desta catedral, a 149 metros acima do mar, já é uma grande atração. Destaco a imagem de Nossa Senhora de La Garde – a Virgem Maria com o menino Jesus nos braços – com 11,2 metros de altura, construída em cobre, folheado a ouro, estrategicamente situada na torre da catedral, observando e abençoando a cidade aos seus pés. Esta Nossa Senhora é protetora dos marujos e pescadores.  

O interior da igreja não é menos bonito, com destaque para os ricos mosaicos em pedras coloridas e ouro.

A parte externa da catedral conta com uma loja de artigos religiosos e uma exuberante vista da cidade. Para chegar à parte mais alta, onde está localizada a catedral, o acesso pode ser feito tanto por escadas externas, como de elevador, pelo prédio lateral.

Chegar a catedral é outra atração: o trenzinho sai do Vieux Port fazendo um lindo passeio pela cidade e pela orla. O trem que vai até a Dome de La Garde é o número 1. Existe outro, o número 2, que faz um circuito pela Velha Marseille e pelos arredores do porto.

Visitadas as catedrais, aproveitamos para passear nos arredores de Vieux Port que continua exuberante, com sua magia marítima e seus barcos ancorados. 
Vieux Port - Barreiras de concreto protegem pedestres
A triste novidade foi observar, no entorno do calçadão do porto, barreiras de concreto com intenção de proteger os pedestres de possíveis carros mal intencionados. Aliás, isto e policiais fortemente armados, atualmente são uma constante nos locais de grande fluxo de turistas, em cidades pelo mundo. Lamentável!

Demos umas voltas pela La Canabiere, revendo suas lojas chiques, feirinha com os sabonetes da Provence, o carrossel e outras lojas típicas da França. Nos arredores, como toda cidade francesa, tem Galerias Lafayette.

Retornamos ao porto caminhando, o que foi fácil. Estão revitalizando toda a região portuária, que está ficando linda. Os novos prédios residenciais e de escritórios mantêm o estilo arquitetônico de época, respeitando a harmonia local. Observamos isso em várias cidades que retornamos. Muitas cresceram ou foram revitalizadas em determinadas áreas históricas e a arquitetura antiga foi mantida com zelo.

O que vai ficar para outra visita:

  •          Musée d’Histoire de Marseille
  •         Provar a bouillabasse, sopa de peixe, em geral feita com peixe super fresco, bastante alho, açafrão, tomate, cebola e outros condimentos.

A desvantagem de visitar uma cidade de navio é a falta de tempo para percorrer tudo que se deseja, principalmente em cidades maiores, que envolvem mais atrações. Mas para quem gosta e consegue viajar muito, conhecer cidades de navio, permite uma prévia de onde você deseja voltar ou não. A grande vantagem é poupar tempo com viagens e entradas e saídas em hotéis, além da possibilidade de se divertir e comer muito bem a bordo.

Leia mais sobre Marseille aqui.

Leia mais sobre a França aqui.

Entre aqui para ler sobre cruzeiros e outros destinos no Mar Mediterrâneo. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que fazer em Mambucaba - passamos o Ano Novo por lá!

Campos do Jordão, a cidade mais alta do Brasil

Bate-volta de Paris à Luxemburgo