domingo, 8 de dezembro de 2019

Le Havre: desembarque e o que fazer na cidade

Por: Adriana Aguiar Ribeiro
Uma viagem feita em Maio de 2019

Desembarcamos em Le Havre em uma manhã de primavera, quando o Serenade of the Seas - Transatlântico -  atracou no porto da cidade, no Canal da Mancha.

Tínhamos decidido, apesar de encontrar no terminal muitas ofertas de passeios para outras cidades francesas, ficar e conhecer Le Havre.  Afinal, era uma das poucas oportunidades de conhecer um pouco mais da costa noroeste francesa, na região da Normandia.

Foi muito acertada esta decisão e valeu muito a pena. No balcão de informações ao turista, no desembarque, compramos passagem de ônibus para o centro da cidade por 5 euros por pessoa. 


Entre abaixo para assistir filme com os detalhes de Le Havre comentados nesta matéria!


Igreja St. Joseph

Descemos bem próximo a Igreja St. Joseph. Um ícone na cidade! 

Com sua construção finalizada em 1958, foi erguida em homenagem aos 5000 mortos na Segunda Guerra Mundial. 
Catedral St. Joseph: torre de 107 metros de altura serve de farol para orientar os navios que passam nos arredores - no detalhe, interior grandioso, com vista para a cúpula da torre.
Com arquitetura moderna, a igreja fez parte de um projeto inovador de reconstrução da cidade, que foi completamente bombardeada pelos ingleses na Segunda Guerra Mundial. 

As obras comandadas pelo arquiteto August Perret, deram a igreja a função prática de um farol, com uma torre de 107 metros, para orientar os navios que passam pela região, especialmente à noite, quando está iluminada. 

A grandeza do seu interior, todo em concreto, cumpre a proposta neo-gótica, de assombrar seus visitantes diante de suas gigantescas colunas.
Mercado Les Halles
Mercado Les Halles

Bem próximo a Igreja St.Joseph, visitamos o Mercado Les Halles.

Com vocação gourmet, o mercado oferece desde lojas com artigos de decoração até itens imperdíveis da gastronomia francesa.

Dentro de um ambiente não muito grande você encontrará flores, licores, doces, queijos, carnes, peixes, chocolates, hortifrutis, comidas prontas, enfim, uma grande variedade de artigos que dá até vontade de alugar um pequeno apartamento em Le Havre só para passar uns dias cozinhando. 
Diversidade de produtos no Merccado Les Halles
Há alguns cafés dentro do mercado, o que é uma boa oportunidade para relaxar bebericando um cappucino, chá ou café, acompanhado de alguma das finas guloseimas típicas da França.

Aliás, a região da igreja St. Joseph e do Mercado Les Halles conta com uma variedade de cafeterias no entorno.

Praia de Le Havre

Daqui fizemos uma caminhada até a praia, aproveitando a manhã ensolarada. 

A praia de Le Havre se distingue pelas suas casinhas de banho coloridas, que servem para a troca de roupa e acolhimento aos banhistas nos dias de sol.
Infraestrutura oferece banheiros e casinhas de praia para comodidade dos banhistas
A faixa de areia (na verdade pedriscos) à beira mar tem umas esculturas modernas, grandes, que enfeitam a orla.
Esculturas tamanho gigante na Praia de Le Havre
Em frente ao calçadão há muitos bons restaurantes, com deliciosas especialidades da famosa gastronomia francesa. Aproveitamos para almoçar pela praia e fomos surpreendidos com o bom paladar.

Mais tarde o tempo fechou e a chuvinha persistente atrapalhou um pouco os programas, mas nada que um guarda-chuvas não ajudasse.
Restaurantes na praia: boa gastronomia
Biblioteca Oscar Niemeyer

Por isso, seguimos direto para o que seria o ponto alto, para nós brasileiros: a Biblioteca Oscar Niemeyer, do famoso arquiteto brasileiro de mesmo nome, um dos mais importantes da arquitetura moderna. 

Oscar Niemeyer faleceu em 2012, deixando um bonito legado para o Brasil e o mundo, com suas obras cuja principal característica é o concreto, o vidro e as curvas. 
Biblioteca Oscar Niemeyer: características curvas que marcam o estilo do arquiteto brasileiro
Catedral Notre Dame de Havre

Andamos até a Catedral Notre Dame de Havre, encontrando-a em obras, por isso, coberta por um painel. Foi uma pena, já que a Catedral datada do Século 16 ao 17, aproximadamente, é um dos poucos prédios que restaram em pé, após a Segunda Guerra Mundial. 

Hôtel de Ville

Sob chuva, andamos pela Rua Paris e esticamos até o Hôtel de Ville, para apreciar seus bonitos jardins na primavera. 
Hôtel de Ville: visita aos jardins frustrada pelas chuvas
Não deu para aproveitar muito, pois começou a molhar bastante. 

Hoje em dia, nas cidades francesas ou de idioma francês, não perco a visita ao Hôtel de Ville, que em minha primeira visita a Paris, pensei se tratar de um grandioso hotel. 

Hôtel de Ville nada mais é do que o prédio da prefeitura de uma municipalidade. Em geral, um prédio muito bonito, muitas vezes rodeado por uma praça enfeitada por jardins.
Ônibus para o navio: 5 euros a passagem
Retornamos ao navio no mesmo ônibus que nos levou ao centro da cidade. No caminho de volta observamos que esta linha de ônibus passa no maior Shopping Center de Le Havre. 

Les Jardins Suspendus

Nossos planos, frustrados pela forte chuva, incluíam pegar um táxi até o Jardim Botânico de Le Havre, Les Jardins Suspendus, que fica em Fort de Sainte-Adresse, a 2,5 quilômetros do centro e proporciona uma bonita vista da cidade. 

Muma

Não poderíamos deixar de citar o Museu de Arte Moderna André Malraux. Em se tratando de arte impressionista, na França, fica atrás apenas do Museu Dorsay, situado em Paris. 

Fica localizado na praia de Le Havre.
Cidade moderna, Le Havre conta com ônibus e trams (bondes elétricos)


Moeda: Euro

2 comentários:

  1. Foi esquecido de comentar, que a cidade foi uma das sede do mundial de futebol feminino, neste ano.

    ResponderExcluir
  2. Muito bem lembrado! Quando passamos por lá tivemos a oportunidade de ver os preparativos para receber os jogos! Obrigada pela sua colaboração.
    Um abraço! Adriana

    ResponderExcluir

O que você achou desta matéria? Compartilhe aqui sua experiência com outros leitores!