domingo, 17 de novembro de 2019

Bate-volta Jardins e Casa de Monet por conta própria

Uma viagem feita em Maio de 2019
Bate-volta desde Paris

Visitar os Jardins e a Casa onde viveu o pintor Claude Monet, um dos mais importantes nomes da Escola Impressionista, permite entender melhor a vida do artista.  

Viúvo, Monet foi morar em Giverny aos 43 anos com os filhos, em 1883, tendo morrido ali em 1926. 
Os jardins, que serviram de fonte de inspiração para muitas de suas obras primas, foram idealizados pelo artista, que ali teve chance de provar que além de um grande nome da pintura, foi também um bom pai e jardineiro. 

O que ver:

A Casa de Monet permite ao visitante observar detalhes da vida do pintor, que nascido em Paris em 1840, escolheu viver metade de sua vida em Giverny (1883-1926). 
Ambientes recriados a partir de objetos pessoais do artista
Em dois andares estão dispostos quartos, salas, cozinha, banheiros, a maioria dos cômodos com vistas para os inspiradores e magníficos Jardins de Flores. 

Os ambientes são todos recriados a partir de objetos pessoais do artista. É uma casa vibrante e colorida que facilmente leva você a imaginar como vivia, criava os filhos, recebia amigos e trabalhava o Monet.
Detalhes vibrantes remetem as obras de Monet
As Flores de Giverny compõem o jardim principal, muito florido, junto a casa. Dizem que a melhor época para visitá-lo é o mês de maio, quando a primavera está em plena época das flores. Realmente fomos neste mês e pegamos o jardim repleto de flores. Mas é bom saber que cada estação tem sua graça e floração própria. Menos nos períodos aproximados e do próprio inverno, quando a casa está fechada para visitas.


No entorno há uma variedade de flores
O Jardim da Água - fascinado pelo jogo da luz e pelo reflexo das nuvens nas águas, a possibilidade de comprar o terreno anexo a sua casa no final de Clos Normand, do outro lado da linha férrea, deve ter sido a máxima realização para o artista. 
Jardim da Água
Ali Claude Monet desviou um pequeno braço de rio, criando um lago, que viria a ser o Jardim da Água. Construiu uma ponte japonesa e pintou-a de verde, para diferir do vermelho das paisagens do Japão. Buscou plantas típicas das paisagens orientais, mas disse que as nenúfares (tão presentes em seus quadros) foram escolhidas aleatoriamente em um catálogo de plantas: 

- "Eu gosto de água, mas também gosto de flores. Por isso, feito o lago, pensei em enfeitar com plantas. Peguei um catálogo e fiz uma escolha aleatória, só isso. " - disse Monet (extraído do site fondation-monet.com). 
O Jardim da Água atualmente é acessado desde o Jardim das Flores, através de uma passagem subterrânea, que garante segurança aos visitantes. 
Ponte Japonesa: verde para diferir do vermelho
Fotos tiradas no local assemelham-se à pinturas... De Monet!

A loja Emílio Robba - aqui você encontrará uma grande variedade de sementes de flores, artigos para casa e lembranças que reportam à casa, aos jardins, às flores e à arte de Claude Monet.
Loja Emílio Borba
A Fundação Claude Monet permite que a casa e os jardins sejam visitados diariamente nas seguintes datas e horários:

De 22 de março a 1 de novembro - das 9h30 às 18h (última entrada às 17h30) - informação extraída do site (fondation-monet.com).

Preço pago em abril/2019: 9.50 Euros (comprado na bilheteria).



Vernon

Após a visita da Casa e Jardins de Monet, retornamos a Vernon de onde sairia o trem de volta a Paris. Aproveitamos para conhecer um pouco da cidade e almoçamos por lá. 

Entre a aqui e leia mais sobre esta visita.
Giverny, nos arredores da Casa de Monet - charme e comércio voltado para turismo
Como chegar desde Paris até Vernon Giverny

De Paris a Giverny são 75km. Para visitar a Casa e os Jardins de Monet, é um bate e volta possível e fácil de fazer por conta própria. 

1 - Saída de Gare Saint Lazare - em Paris - em trem Intercité ou TER, que fazem linha direta sem conexão até a Gare de Vernon-Giverny, podendo variar o tempo de viagem de 45 a 55 minutos, dependendo do horário que você pegar. 

2 - A passagem pode ser comprada pela internet ou diretamente no guichê (compramos na hora). Os preços podem variar de 8,90 a 14,70 cada trecho (considerar data de hoje). Isso vai depender da promoção que cada horário pode oferecer. 

3 - Se você pretende fazer um bate-volta, vale a pena pegar um horário mais cedo, para que seu tempo seja folgado para visitar arredores de Giverny, que é a cidadezinha onde fica a Casa e os Jardins de Monet e também conhecer um pouquinho de Vernon, que é outra simpática cidadezinha francesa.
Arredores do estacionamento onde para o ônibus em Giverny: cinco minutos caminhando até a Casa de Monet
4 - Chegando na Gare de Vernon-Giverny, há a possibilidade de pegar um trenzinho, ou alugar uma bicicleta, mas o mais simples é pegar o ônibus que sai da estação de trem. Ficam parados bem ao lado da estação e na época que utilizamos, custou 10 Euros ida e volta. Os ônibus param no estacionamento, que fica a aproximados 5 minutos de caminhada até a Fundação Claude Monet. Fique atento aos horários de volta dos ônibus para a estação de trem em Vernon

5 - Volta pelos mesmos meios da ida.
Quer ler mais sobre Paris e outras cidades francesas?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou desta matéria? Compartilhe aqui sua experiência com outros leitores!