Desembarque em Cork (Cobh), Irlanda

Por: Adriana Aguiar Ribeiro
Viagem em maio de 2019

Compramos uma viagem de navio, um Transatlântico, com a promessa de roteiro saindo de Fort Lauderdale, Ponta Delgada (Açores), Cork (Irlanda)... Como conto aqui
Centro de Cobh com a Catedral de St. Colman ao fundo
Como sempre, preparamos um roteiro detalhando o que fazer em cada parada. 

Ao chegar em Cork, República da Irlanda, tivemos uma pequena surpresa: o navio atracou no distrito de Cobh (se fala Couv), que fica no condado de Cork, mas não é a cidadezinha de Cork propriamente dita. Aquela para o qual tínhamos feito toda uma programação. 
Assista acima vídeo sobre a cidade


Nesta matéria, trato de alertar você, viajante que vai fazer esta parada e, como nós, gosta de fazer sua programação de forma independente, sem utilizar as excursões.
Estátua de Annie Moore, primeira imigrante a desembarcar em Ellis Island, nos Estados Unidos. A estátua da irlandesa recepciona quem chega de navio em Cobh. Estátua fica em frente ao Museu Queenstown Story, junto ao porto.
Ao desembarcarmos e nos darmos conta de que precisaríamos pegar um trem ou ônibus até Cork, com uma viagem de pouco mais de meia hora, desistimos do programa. Não que não fosse viável, mas só descobrimos isso praticamente uma hora após o desembarque. 

Como curtimos tudo bem programado, achamos que aquela altura seria um pouco de correria para ir até Cork. E Cobh, que é menor, também nos pareceu charmosa, motivo pelo qual decidimos passar nosso dia por lá. 
Charme de Cobh nos convenceu a ficar para conhecer a cidade
O que fazer em Cobh

Cobh é uma pequena cidade irlandesa localizada ao sul da República da Irlanda, banhada pelo Oceano Atlântico, com uma população de quase 13.000 habitantes. Por isso, foi bem fácil percorrer os principais pontos de nosso interesse a pé. 

O porto onde o navio Serenade of the Seas, da Royal Caribbean, atracou, fica a poucos metros do centro e do escritório de informações turísticas, onde passamos para pegar um mapa e pedir informações sobre a cidade. 
Centrinho com escritório de informação ao turista ao fundo e homenagem aos naufragados no navio RMS Lusitania
O atendimento foi ótimo, simpático e profissional, nos ajudando muito a tirar o máximo proveito de Cobh. 

Catedral St. Colman

Aproveitando a tranquilidade matinal, quando poucos tinham desembarcado do navio, subimos as ladeiras que alguns metros acima nos levaram até a Catedral St. Colman, uma igreja católica, em estilo neo-gótico. 

Seu interior é rico, com detalhes muito bonitos. Sua construção teve início em 1868, ficando pronta em 1919. O destaque da catedral fica por conta da sua torre com um carrilhão composto por 49 sinos. Um dos maiores da Europa! 

Além disso, o ponto onde está situada a catedral é perfeito para apreciar a bonita vista da cidade e o mar adiante.
Bonita vista da Catedral St. Colman, com Deck of Cards
Deck of Cards (Baralho de Cartas)

Subindo pela rua da Catedral e entrando em direção ao alto da West View Road, você encontrará outro cartão postal da cidade: as casinhas coloridas conhecidas como Deck of Cards.

Estas casinhas foram construídas em 1850 e são chamadas assim pois, como brincam os locais, se a casinha da base cair, todas as outras desmoronarão sobre ela, exatamente como um baralho de cartas.
Deck of Cards: casinhos coloridas são um dos cartões postais de Cobh

Titanic

A cidade é conhecida também por duas grandes tragédias: a mais conhecida refere-se ao Titanic, que parou em Cobh pela última vez antes de naufragar em 1912, próximo a costa do Canadá, quando estava a caminho de Cape Liberty, em Nova York.

O Museu Titanic Experience, dedicado a tragédia  fica no centro da cidade e tem anexo um bar bem bonito com o nome do navio.

Próximo a Cobh, também foi afundado, por um submarino alemão, o navio RMS Lusitania, no ano de 1915. 
Museu Titanic
Kennedy Park

Tragédias a parte, tivemos grande sorte de chegar justo no dia em que a cidade comemorava o Dia do Trabalho.

Por isso encontramos o Kennedy Park, que fica a beira-mar, em completa festa do interior. 

O coreto tinha banda de música típica irlandesa. A praça estava repleta de barraquinhas de comidas, artesanatos e brinquedos infantis. 
Kennedy Park em festa
Essas surpresas por onde se viaja devem ser muito valorizadas e aproveitadas como uma forma de conhecer a cultura local.

Pubs

Não sabemos se motivados pela cidade festiva, mas encontramos os famosos pubs irlandeses abertos e muito animados com música ao vivo. 

Lugar perfeito para degustar a cerveja e whiskey locais. 

Outros Museus

O centro da cidade tem mais dois museus: o Cobh Museum e o The Queenstown Story, que conta a relação da cidade com a história dos Transatlânticos.

Pelo exposto nesta matéria dá para perceber que Cobh tem um leque de bons motivos para permanecer na cidade, que tem ainda um pequeno comércio, restaurantes, praças, tudo muito cativante!
Lojas de novidades e guloseimas

Cork

Mas se você por algum motivo preferir ir até Cork, verificamos que não é nada complicado. Há trens e ônibus de tempos e tempos saindo de Cobh para Cork, em uma viagem de pouco mais de 30 minutos. É uma questão de você se programar para ir até lá. 

Colo abaixo o que destacamos para visitar na cidade em nosso roteiro prévio, se descêssemos em Cork. 

Lembrando que os dados abaixo são fonte de uma pesquisa. Não comprovamos nada com nossa própria experiência:
Charme de Cobh nos convenceu a não ir para Cork e aproveitar para conhecer a cidade
Cork é a segunda maior cidade da Irlanda. Se tivéssemos ido até lá determinamos: visitar o English Market Cork. Ir apreciar o rio e cisnes. Passear por Patrick Street, rua movimentada onde tudo acontece. Visitar Glenview Park & Hobbit House. St. Patrick Hill. Blarney Castle e Jardins (checamos que tem ônibus até lá desde o centro da cidade (linha 215 - 8 Euros ida e volta). Entrada no castelo 14 Euros. Lá todos querem ir a Pedra da Eloquência beijá-la. (resumo de pesquisas realizadas em sites diversos em março de 2019).

Moeda utilizada: Euro

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Campos do Jordão, a cidade mais alta do Brasil

O que fazer em Mambucaba - passamos o Ano Novo por lá!

Visitando Quebec, Canadá