sábado, 11 de abril de 2020

Visitando Quebec, Canadá


Viagem realizada em fins de maio de 2019

Partimos de Montreal Gare Central, de trem, em uma viagem de quase três horas e meia, para chegar na simpática Gare Du Palais, em Quebéc. Uma estação linda, pequenina, que parece ter parado no tempo!
Gare du Palais: exterior e interior charmosos
Aproveitamos a hora do almoço para comer ali mesmo na estação, em um restaurante bistrô bem popular entre transeuntes e locais, com comida quente e boa. 



Viajamos pela Via Rail Canadá, com passagens que compramos previamente pela internet. Os trens não são tão rápidos quanto os europeus, mas a viagem vale muito a pena.

Estava bem frio, primavera, e ao sair da estação deparamos com a praça defronte florida com tulipas. Aliás, muito comum ver as flores nesta viagem de 58 dias pela Europa e América do Norte.
Tulipas na Praça Jean Pelletier, em frente a Gare du Palais
Como na maioria das vezes, dispensamos táxi ou Uber e nos lançamos ao desafio do transporte público. Não tínhamos noção de onde passaria a Linha Verde, de Gare-Palais para Beauport. 

Mais uma vez constatamos a gentileza dos canadenses: dois jovens vendo nossa cara de dúvida vieram oferecer ajuda. Ao perguntar onde ficava o ponto do ônibus com a direção da Linha Verde, um deles, além de indicar o local, ofereceu um mapa da cidade, já que o amigo dele, em visita, não precisaria mais. Estava indo pegar o trem para ir embora da cidade.
Linha verde Metrobus
Detalhe: não compramos internet no Canadá. Estava cara. Onde custa caro, não costumamos adquirir internet paga. Dá para viver sem, utilizando o wi-fi da hospedagem e outras conexões pelo caminho (cafés, restaurantes, mercados, shoppings, etc.). Cada um tem suas prioridades!

Após pequenas dificuldades, pois em Quebec poucos falam inglês (o idioma oficial da cidade também é francês), chegamos em outra casa de Airbnb. Em um bairro residencial, o que foi muito legal por podermos explorar a região. 

Não tivemos tanta sorte nesta casa. Apesar das boas avaliações e fotos atraentes, a realidade da hospedagem não condizia com a propaganda. 
A casa não condizia com a propaganda, mas o bairro era ótimo e foi uma oportunidade poder conhecer os arredores
Mas valeu! Temos muitas histórias divertidas para contar. Conhecemos a padaria local - boulangerie Julie - onde compramos pão francês quentinho para o café, a farmácia, pracinha, igreja, mercado e mercadinhos. 

Mais uns dias por lá teríamos feito amizades com a vizinhança. E foi a partir dali que pudemos, durante três dias, nos divertir conhecendo a linda cidade de Quebec.

Quebec City

A cidade de Quebec, fundada em 1608, tem uma população estimada em 532.000 habitantes.
Château Frontenac, no Terrasse Dufferin, na Cidade Alta
O idioma oficial é o francês e aproximadamente 80% da população tem o idioma como sua primeira língua.

A moeda utilizada é o dólar canadense.

O que fazer em Quebéc

No primeiro dia na cidade pegamos novamente a Linha Verde até a Praça da estação de trem Gare de Palais.

Após explorarmos os arredores da estação, com destaque para a praça e suas tulipas, caminhamos até o
Triste constatação: o velho mercado do porto foi demolido no ano passado, pouco depois de nossa visita
Marché du Vieux-Port

Infelizmente, ao buscar subsídios para esta matéria, verifiquei que o Marché du Vieux-Port foi demolido no ano passado e reconstruído um grande mercado para abrigar os vendedores, no bairro de Limoilou. Aliás, o bairro onde nos hospedamos.

Alguns fregueses fiéis do Marché du Vieux-Port dizem que passarão a fazer suas compras nos grandes supermercados, já que o bairro de Limoilou fica distante daquela área onde estava localizado o Marché du Vieux-Port.

Foi com muita pena que li a notícia, já que este mercado foi um dos pontos altos de nossa visita a cidade de Quebec. Adoramos mercados!
O Marché de Vieux Port vendia produtos horti-fruti, flores, peixes, produtos prontos como tortas, sanduíches, doces, queijos, etc.
Maple Syrup: o mel vegano
Havia barracas com venda exclusiva dos derivados do bordo, a árvore tradicional canadense, com a folha símbolo do país. O mais conhecido é o Maple Syrup, uma deliciosa calda, boa para panquecas. Mas há outras guloseimas como a manteiga de maple syrup, as balas, biscoitos, entre outros. O maple syrup é um delicioso mel vegano, que adoro!

Do Marché Vieux Port seguimos caminhando para o lado do Rio São Lourenço (que corta também a cidade de Montreal), chegando a parte baixa de

Vieux Quebec - Cidade Baixa

Pode parecer clichê dizer que o lugar é uma joia. Mas foi esta a sensação que Vieux Quebec deixou. 

Foi onde nasceu a cidade de Quebec, às margens do Rio São Lourenço, com muitas residências e comércio, onde no passado foi o centro da cidade.
Charme na cidade baixa
Uma área muito charmosa, com antigos prédios, muitos do Século 17, recontando a história de Quebec.


Passamos pelo Museu da Civilização. Destacamos no caminho o Mural de Quebec, que fica bem próximo a Praça Real.

Na Praça Real está localizada a
Mural de Quebec
Notre-Dame-des-Victoires

Uma pequena Igreja Católica de pedra, que quase passa despercebida, construída no local da residência de Samuel Champlain, o explorador francês que fundou a cidade de Quebec.

A igreja teve sua obra finalizada em 1687. É uma das mais antigas da América do Norte.

Notre-Dame-des-Victories teve grande parte do seu prédio destruído pelos ingleses na Batalha dos Planos de Abraão, em setembro de 1759.
Notre Dame-des-Victories em Place Royale
Uma restauração completa da igreja foi finalizada em 1816.
Bem perto dali, exploramos os arredores de
Arredores de Place Royale
Petit Champlain

É uma área de comércio bem turística, mas não menos atraente.

Ainda na Cidade Baixa, paralela a Rue Petit Champlain está a Rue Saint Jean.

O quarteirão é repleto de butiques, restaurantes, galerias de arte e lojas de artigos para turistas.
Galerias de arte por toda a região
Atenção, pois mesmo escurecendo tarde no verão e primavera, as lojas aqui fecham às 17 horas.

Todo o comércio dos arredores é muito charmoso, por isso não deixe de bater pernas pela área antes de subir para o
Rue Petit Champlain
Terrasse Dufferin

De Petit Champlain você poderá ir ao Terrasse Dufferin através do funicular ou subindo a Escalier Casse-cou, uma simpática escadaria que liga a Cidade Baixa à Cidade Alta e tem ao longo da subida (ou descida) comércios e restaurantes. Aproveitamos para almoçar em um restaurante na escadaria.
Funicular, ao fundo, liga a Petit Champlain ao Terrasse Dufferin
Ambos ficam um ao lado do outro (funicular e escadarias). Cabe a você escolher qual o meio mais adequado para utilizar.

No caminho até o Terrasse Dufferin passamos por uma popular pipocaria - a Mary's, loja com todo tipo de pipoca doce e salgada. Pegamos uma doce de sobremesa!
Escalier Casse-cou: também liga a Cidade Baixa a Cidade Alta
Chegando ao Terrasse Dufferin nos deparamos com um grande platô de madeira debruçado sobre a bonita vista da Cidade Baixa e do Rio São Lourenço.

É uma área mais nova da cidade, datada do ano de 1879. Um local tradicional para um passeio ao ar livre, muito agradável para curtir.

O calçadão (como assim pode ser chamado) conta com muitos bancos para quem curte relaxar e observar o movimento dos passantes. Ali está localizado o
Terrasse Dufferin
Château Frontenac

Um elegante e grandioso hotel inaugurado em 1893 pela Canadian Pacific Railway, a maior companhia ferroviária da época. A construção do hotel teve como objetivo incentivar o turismo de classe alta e, assim, incentivar o transporte de passageiros nos trens da companhia.

O Château Frontenac conta com 650 quartos, um bonito telhado de cobre e é considerado o melhor da cidade, um dos mais importantes do país.
Chateau Frontenac: grandiosidade
Todas essas atrações ficam dentro da cidade murada. As fortificações em Quebec são visíveis por todo caminho, onde as muralhas são totalmente preservadas. Parte deste sistema de fortificações é a Citadelle de Québec, que fica localizada em Vieaux Quebéc.

A Citadelle é um dos maiores fortes britânicos na América do Norte e patrimônio da UNESCO. Não entramos na Citadelle nesta viagem, mas se você tiver tempo, pode ser um passeio interessante, principalmente se você tiver crianças. Visitamos a Citadelle de Halifax, no Canadá, que também é um antigo forte que conta com canhões, muros altos e largos, troca da guarda, museu, etc. Tudo isso você encontrará na Citadelle de Québec.
Fortificações visíveis pela cidade 
Desde o Terrasse Dufferin caminhamos até o

Hôtel du Parlement du Quebec

Um dos edifícios mais importantes de Quebec, com uma arquitetura imponente, característica do Segundo Império Francês. 

Sua fachada exterior assemelha-se a um castelo.

Seus jardins com chafariz, na época da visita estavam coloridos com tulipas diversas. Tudo muito bem cuidado!

Aqui funciona a Assembleia de Quebec e a Câmara Legislativa.
Hôtel du Parlament ao fundo. Jardins bem cuidados!
O Parlamento de Quebec é aberto ao público e a entrada para visitação é gratuita.

No caminho até aqui passamos pelo centro da Cidade Alta, com seus prédios elegantes, praças e a

Notre Dame de Quebec

Localizada no mesmo local desde o ano de 1647, a catedral foi destruída por incêndios duas vezes.

O segundo incêndio ocorrido em 1922 foi uma ação criminosa da facção canadense da Ku Klux Klan.

Em 1931 a igreja foi recuperada.
Notre Dame de Quebec
No dia seguinte saímos com destino a Montmorency Falls. 

Imaginávamos que gastaríamos um dia inteiro neste passeio, já que as indicações pela internet não mostravam que seria muito fácil e rápido o passeio até lá. Tanto que gastamos apenas uma manhã visitando a cachoeira e pegamos um ônibus (a Linha Verde), voltando ao Hôtel du Parlament para dali fazer o caminho contrário revisitando a Cidade Alta e indo almoçar de novo na Cidade Baixa.

Montmorency Falls



Com 83 metros de altura e 30 metros mais alta que as Cataratas de Niágara, as Cataratas de Montmorency são fáceis de visitar, pois estão localizadas a aproximadamente 30 minutos de ônibus urbano, desde o centro de Quebec. 

As Cataratas ficam dentro de um parque de mesmo nome e proporcionam uma linda vista da natureza no entorno, com o Rio São Lourenço ao fundo. 
Bonita vista, com o Rio São Lourenço ao fundo e escadarias para acessar as margens do rio
São muitas atrações para todos os gostos e idades dentro do Parque Montmorency:
  • Você poderá andar de teleférico, admirando as cataratas desde lá. 
  • Atravessar a ponte suspensa até o mirante, com a emoção da ruidosa cascata despencando abaixo dos seus pés. 
  • Se jogar sem medo na aventura de uma tirolesa que passa sobre os penhascos da cascata.
  • Poderá fazer um piquenique no pomar, se o tempo estiver quente.
  • Se exercitar subindo e descendo as escadarias dos penhascos.
  • Ou ainda, aprender detalhes sobre o lugar, visitando o centro de informações do parque.
Travessia sobre as cascatas
A cafeteria e restaurante também são uma boa pedida. O brunch servido lá é famoso como um dos melhores da região. 

A entrada no parque é gratuita. 

Como chegar em transporte público: chegamos lá pegando a Linha Verde (800), que passa em diversos pontos da cidade de Quebec. O ônibus chega nos fundos do parque e você desembarca a uma curta caminhada das cascatas.

Tem estacionamento para quem vai de carro. Fica localizado na entrada principal do Parque Montmorency. 
Na entrada do parque fica um centro de informações, banheiros, estacionamento, café e restaurante e o acesso para o teleférico. Chegando de ônibus você entrará pelos fundos, já próximo as cascatas.
É muito simples, sem mistério. Você não precisa comprar um tour para ir até lá.

Assista aqui um vídeo produzido por nós falando mais sobre o lugar.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou desta matéria? Compartilhe aqui sua experiência com outros leitores!