domingo, 24 de junho de 2018

O que fazer no Golfo de Nápoles

Nápoles, Pompeia, Sorrento, Capri e Ischia
Ao pesquisar a região próxima a Nápoles (Golfo de Nápoles) as descobertas foram tantas, que foi difícil optar pelo que ver em um dia de desembarque de um navio de cruzeiro.

Capri e Ischia foram altamente cogitadas! Mas tivemos que considerar que, com hora certa para o navio partir, ficar sujeito às mudanças de tempo repentinas não seria um bom negócio. 


Afinal, Capri e Ischia são ilhas localizadas de 40 minutos a 80 minutos da costa – tudo depende do barco. As opções de saída são dos portos Mollo Beverello (barco rápido – aliscafi) e Calata de  Masa (navi veloti e traghetti – balsas mais lentas), em Nápoles. Por isso, deixamos o destino para uma próxima aventura!

Breve descrição do roteiro

Optamos por visitar um pouco de Nápoles, porto de desembarque, Pompeia e Sorrento. Desembarcamos cedo com objetivo de ir direto para Pompeia (a cidade soterrada pelo Vesúvio). Desde o porto pegamos o metrô com destino a Piazza Garibaldi. De lá pegamos um  trem para ver as ruínas. Descemos em Pompei Scavi, onde gastamos um par de horas percorrendo a cidade soterrada pelo Vesúvio. 
Ruínas de Pompeia

Seguimos então para Sorrento, onde passamos mais um tempo percorrendo a cidade linda, com escarpas douradas, banhadas pelo azul mediterrâneo. Fizemos um delicioso passeio a pé pela cidade, com hora marcada para retornar para Nápoles, onde programamos almoçar. 
Praias de Sorrento

Assim estaríamos mais próximos do navio, com folga de tempo para fazer o embarque tranquilos. Em Nápoles, influenciada pela leitura da série (iniciada com “A amiga genial”) de Elena Ferrante, fomos direto para  Vomero. A protagonista do livro trabalhava em uma livraria neste bairro, descrito como elegante, bonito e repleto de restaurantes.  Adoro conferir em viagens,cenários de livros.  E valeu a pena!
Bairro de Vomero, Nápoles

Por fim, descemos até próximo ao porto em um dos funiculares da cidade. Ainda pudemos apreciar o Lungomare e passar no Castelo Novo. O tempo estava apertado, por isso resolvemos não entrar.  Não deu tempo também de ir a Tribunali, que era um dos objetivos nesta viagem. Mas não dá para fazer tudo. E entre o planejado e o executado, acho que conseguimos cumprir noventa por cento do roteiro.
Vesúvio visto do deque do navio

No fim da tarde optamos por subir ao deque alto do navio e apreciar o por do sol nesta linda cidade banhada pelas sombras do Vulcão Vesúvio!

Como se deslocar entre esses destinos?

Desde o navio até a estação de trem Piazza Garibaldi, fomos de metrô. Foi fácil, pois havia uma estação de metrô bem perto do porto. Porém, como não tínhamos moedas para utilizar na máquina de bilhetes, tivemos que sair da estação para trocar dinheiro. Nem todas estações de metrô na Europa tem guichês com atendimento pessoal. 
Circumvesuviano de Nápoles a Pompeia

As pesquisas prévias à viagem indicaram os trens do Circumvesuviano (regional) e a Trenitalia. Mas na prática, para percorrer Nápoles – Pompeia – Sorrento – Nápoles, só conseguimos pegar o Circumvesuviano. E ninguém sabia informar sobre a Trenitalia neste percurso. Talvez ela tenha poucos horários. Em desembarques de navio, saber horários precisos dos transportes é importante pois você terá que ser programar para retornar dentro do horário previsto para embarque e partida do seu cruzeiro.
Fique atento ao horário dos trens

O Circumvesuviano é um trem simples: lento, sem ar condicionado e não espere muito conforto das suas poltronas.  Tem uma frequência de 15 a 20 minutos. Seu público é composto principalmente por trabalhadores locais e estudantes. E mais uma quantidade de turistas se deslocando pela região do Golfo de Nápoles. O preço do bilhete total, de ida e volta custou aproximadamente 15 euros na época da viagem (setembro-2107). 

Entre Nápoles e Pompeia o trajeto dura uns 40 minutos. Depois a viagem leva quase o mesmo tempo desde Pompeia até Sorrento. O percurso lento permite observar detalhes das cidades, suas casas, varandinhas, algumas floridas, descortinando detalhes da vida privada.
Estação Central de Funicular no bairro de Vomero

Em Nápoles o transporte público é bem servido por ônibus, metrô e os funiculares. Este último, bem diferente dos funiculares que conhecemos (ex: em Santiago, Valparaíso...), é um transporte rápido, tem três linhas ligando importantes bairros e várias estações de parada. 
Descrever este roteiro talvez ajude outros navegantes a perceber que uma parada no porto de Nápoles tem um leque de possibilidades. Se você tiver algo a comentar ou alguma dúvida, compartilhe aqui com todos nós!

Em outras matérias traremos descrições detalhadas do percurso em cada cidade mencionada aqui.

Leia mais sobre a Itália clicando aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou desta matéria? Compartilhe aqui sua experiência com outros leitores!