sábado, 28 de novembro de 2020

10 dias em Aracaju, Sergipe

Viagem em março de 2020

Quando: viajamos para Aracaju em um Domingo de Março. Escolhemos esta data para passar 10 dias no nordeste, por ser início da baixa temporada, quando encontramos melhores tarifas aéreas e de hotéis. Um período de pleno sol, cidade animada e praias tranquilas.

Assista abaixo um pequeno passeio pela cidade, produção do Viajando com Puny para o You Tube.

Caso não consiga abrir o vídeo pelo mobile, vá ao fim desta página e acesse a matéria no modo "visualizar versão para web".

Transporte: Após um rápido voo com a Gol entre Rio de Janeiro e Aracaju, chegamos ao nosso destino em menos de duas horas e meia, a tempo de apreciar o por do sol. 

Veículo: alugamos um carro econômico com a Movida, onde encontramos boa tarifa. O modelo Uno, da Fiat, atendeu perfeitamente nossas necessidades e passeios aqui descritos.

Comfort Hotel Aracaju ofereceu conforto, boa localização e café da manhã gostoso

Hospedagem: dirigimos até o Comfort Hotel Aracaju, usando como navegador o Google Maps. O trânsito da cidade é muito tranquilo e foi fácil chegar até lá.

O Comfort Hotel Aracaju faz parte da rede  Atlântica, que temos usado bastante ultimamente no Brasil, já que o padrão dos seus hotéis é tão bom quanto a rede Accor (do Ibis, Mercure...), mas geralmente oferecem café da manhã e têm tarifas razoáveis. 

O hotel, de categoria turística, tem um conforto legal no quarto, um saguão amplo, uma pequena piscina e um café da manhã bom. Sua localização é ótima, a duas quadras da Praia de Atalaia, bem na altura do Projeto Tamar. Tem estacionamento gratuito.

Praia de Atalaia: nossa preferida, por razões que conto abaixo

Praia de Atalaia

Utilizamos o carro para ir a muitos lugares, mas fomos várias vezes a praia de Atalaia (que é linda!) a pé mesmo.  Apesar de estar a apenas duas quadras do hotel, a praia fica bem distante da orla, exigindo uma caminhada considerável até a beira-mar. O caminho é bem bonito, tudo estava muito cuidado, passando por áreas urbanizadas com passarelas, bancos e sombras de coqueiros, o que facilita tudo. 

A praia neste trecho era vazia, com alguns poucos banhistas e muitos surfistas. Mas, caminhando um pouco para a direita, há uma infraestrutura com barracas e cadeiras de praia, onde não era necessária consumação. Para aqueles que gostam muito de curtir a praia, esta região de Atalaia é bem legal.

O mar tem águas mornas e calmas, com a arrebentação mais distante, o que proporciona um banho tranquilo para quem tem crianças. A extensa faixa de areia é ideal para a construção de castelos e outras brincadeiras. Tem boas ondas para quem curte surfe. 

Caso não consiga abrir o vídeo pelo mobile, vá ao fim desta página e acesse a matéria no modo "visualizar versão para web".

Orla de Atalaia

A Orla de Atalaia é bem estruturada, ótima para caminhadas, corridas ou simplesmente um passeio de fim de tarde para ver as modas de Aracaju. É muito bem iluminada durante a noite e deu a impressão de ser segura, com policiamento ao longo do calçadão. 

Por ali se espalha uma grande quantidade de restaurantes, pizzarias, bares, quadras de esportes, praças com brinquedos infantis, feirinhas de artesanatos, lagoas com pedalinhos, caiaques e aves. É onde fica, em uma área da avenida, a famosa Passarela do Caranguejo e também o Projeto Tamar.

Não resisti: me exibi ao lado do bicho!

Passarela do Caranguejo

Um dos cartões postais de Aracaju, a Passarela do Caranguejo tem um grande caranguejo no meio da avenida. É ponto de parada de muitos turistas que desejam ser registrados em foto ao lado do bichão. Não resisti!

No entorno há uma concentração de bares, restaurantes e lanchonetes. A maioria oferecendo típica comida nordestina. Mas observamos, em diversas outras partes da orla, restaurantes bem descolados. Por isso, não nos prendemos às indicações apenas daquela região. 

Ao longo da praia são muitos restaurantes como estes em um centro de contêineres

Bem perto da Passarela do Caranguejo ficam os Arcos da Orla de Atalaia, outra área bem turística.

Oceanário de Aracaju (Projeto Tamar)

Não entrarei em detalhes técnicos do Projeto Tamar de Aracaju, mas observo que é muito bem organizado, com muitas espécies em recuperação e bons profissionais explicando sobre cada setor. Ao fim da visita há um lojinha bem transada, que reverte seus lucros para o projeto. 

Assista abaixo um curto vídeo com pequena mostra do projeto em Aracaju

Caso não consiga abrir o vídeo pelo mobile, vá ao fim desta página e acesse a matéria no modo "visualizar versão para web".
Para saber detalhes da visita, acesse o site

Praias

Antes de viajar para Aracaju pesquisamos e anotamos diversas praias para conhecer. Algumas no Litoral Sul e outras no Litoral Norte, como a Praia do Refúgio, Praia de Aruana, Praia do Náufrago, todas ao sul e a mais distante a 14 km do hotel. E ao norte, a Praia dos Artistas, que dizem ser mais perigosa devido ao canal.  

Constatamos que as praias do Litoral Sul e as do Litoral Norte são bem semelhantes. Gostamos muito da praia que frequentamos mais, na altura do Projeto Tamar, onde podíamos ir a pé. 

Mas isso é muito pessoal e acredito que se estivéssemos hospedados mais para o sul ou norte, gostaríamos sempre mais da praia próxima ao nosso hotel, onde poderíamos chegar sem ter que dirigir. 

Outras praias. Todas encantadoras.

Na verdade, todas as praias de Aracaju são encantadoras, se você somar suas paisagens, sol, calor, água de coco,  água de mar e a gentileza do povo local. Um detalhe que merece destaque. A gente sergipana é de uma simpatia fora do comum!

Anotamos também a Croa do Goré, um passeio de barco até a ilha, a 20 quilômetros ao sul de Atalaia, e a Praia de Barra dos Coqueiros, atravessando a Ponte Construtor João Alves, direção norte. Uma região tranquila, a três quilômetros do centro de Aracaju, Barra dos Coqueiros é outro município. Não entrarei em detalhes, pois não visitamos e guardaremos estas atrações para outra viagem à Aracaju.

Centro da cidade com a Casa Alemã
Centro da Cidade

Com menos de 600.000 habitantes, esta capital brasileira exala tranquilidade. A cidade bem cuidada nos deixou uma ótima impressão. A praia não foi a única queridinha do nosso coração. Visitamos o centro da cidade quase que diariamente, seja para um almoço, lanche, visita ao centro histórico, ida ao museu ou ao mercado.

Museu da Gente Sergipana 

Localizado no Centro Histórico de Aracaju, tem a sua frente o Rio Sergipe com um pequeno atracadouro e sobre ele uma instalação artística bem bacana, chamada o Largo da Gente Sergipana, outra importante referência à cultura popular regional. 

É um programa imperdível, que conto um pouco em imagens na produção abaixo:

Caso não consiga abrir o vídeo pelo mobile, vá ao fim desta página e acesse a matéria no modo "visualizar versão para web".
"Inaugurado em 26 de novembro de 2011, o Museu da Gente Sergipana Gov. Marcelo Déda é o primeiro museu de multimídia interativo do norte e nordeste, sendo comparável ao Museu da Língua Portuguesa e ao Museu do Futebol, em São Paulo. É um museu totalmente tecnológico voltado para expor o acervo do patrimônio cultural material e imaterial do estado de Sergipe, através de instalações interativas e exposições itinerantes.(...) "

Ao fim da visita não deixe de fazer uma parada no Café da Gente Sergipana, localizado no interior do museu. 

Estacionamento: tem estacionamento pago ao lado do museu.

Para saber mais detalhes, visite o site do museu

Mercado Albano Franco e Mercado Thales Ferraz

Praça dos Mercados

Pouco mais de um quilômetro adiante, margeando o Rio Sergipe, fica a Praça dos Mercados, outro lugar que vale muito a visita, quem sabe até uma parada para almoço ou lanche. 

Ali estão localizados três importantes mercados, um ao lado do outro. 

O Mercado Albano Franco, que concentra produtos alimentícios locais, hortifrutigranjeiros, grãos, doces entre muitos outros.  

O Mercado Thales Ferraz vende produtos típicos do nordeste, como beiju, rapadura, queijo coalho, farinha, tapioca, etc.

Já o Mercado Antônio Franco vende artesanato regional, calçados, roupas, acessórios, artigos para casa e muito mais. 

Mercado Antônio Franco e restaurante Caçarola no primeiro piso

Se você gosta de mercados locais, com certeza vai adorar esta visita. É muito prático, pois lá você tem um 3 em 1 fantástico!

Assista abaixo ao filme produzido no local pela Equipe do Viajando com Puny!

Caso não consiga abrir o vídeo pelo mobile, vá ao fim desta página e acesse a matéria no modo "visualizar versão para web".

Shopping Rio Mar

Há alguns bons shoppings na cidade, mas conhecemos apenas o Rio Mar para ir ao cinema e fazer um lanche. Bonito e diversificado, com boa praça de alimentação, onde encontrei sanduíche vegano.

Destaques Gastronômicos: Não vou mencionar aqui os restaurantes de frutos do mar, pois são muitos e muito bons em Aracaju. Mas destacamos o que adoramos e visitamos mais de uma vez: Açaí Aju - se você gosta de açaí, aqui servem porções gigantescas e bem ornamentadas por um preço justo. A Casa Alemã, uma confeitaria com um restaurante de comida por quilo bem variada e saborosa, para quem vai ficar muitos dias na cidade e quer sabor de comida de casa. E o Restaurante Caçarola, na parte alta do Mercado Antônio Franco, na Praça dos Mercados, serve comida típica nordestina por peso e sobremesas regionais fantásticas.

São Cristóvão: cidade histórica que vale o bate-volta

Passeios nos Arredores: São Cristóvão, Laranjeiras, Praia de Pirambu e Cânion do Xingó (Rio São Francisco). Optamos por viajar até São Cristóvão em um bate-volta que você pode checar aqui

Assista abaixo ao vídeo produzido pela Equipe do Viajando com Puny, sobre esta viagem até São Cristóvão.

Caso não consiga abrir o vídeo pelo mobile, vá ao fim desta página e acesse a matéria no modo "visualizar versão para web".

Se você tiver impressões a acrescentar sobre esta linda cidade praiana, deixe abaixo nos comentários, que vamos adorar saber! Se pudermos ajudar de alguma forma, escreva também para a gente. Obrigada pela sua visita!

Leia aqui outras publicações de viagens pelo Nordeste do Brasil.

Leia o livro Vivendo Bem com o que Você tem, de minha autoria, e aprenda como administrar as finanças, de modo que sobre uma parte de suas economias para você poder viajar.

Vivendo bem com o que Você tem não vai torná-lo um indivíduo rico, mas vai ajudá-lo a administrar suas finanças no dia a dia, controlando suas despesas nos momentos de bonança ou escassez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou desta matéria? Compartilhe aqui sua experiência com outros leitores!