quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Bate-volta Palácio de Versalhes por conta própria

Viagem em Maio/19
Bate-volta desde Paris

Já escrevemos aqui uma matéria comentando que nem sempre conseguimos ou temos que visitar tudo que é considerado turístico em um lugar. Não tornamos obrigatório conhecer cada castelo, palácio ou museu de uma cidade. Valorizamos também sentar em um café com calma, escolher pratos que agradam aos locais e observar o dia a dia dos nativos de qualquer lugar. Por isso, tivemos que responder muitas vezes que sim, conhecíamos Paris e não visitamos Versalhes.
Sala dos Espelhos
Até que após assistir no Net Flix série que romanceia de forma rica a construção do Palácio de Versalhes, por Luís XIV da França, ficamos bem interessados em fazer a visita.
Como tínhamos marcado ir para a Europa - leia aqui sobre a viagem que durou dois meses-, aproveitamos a oportunidade de ir a Paris para encaixar Versalhes em nosso roteiro.

Quem lê as matérias do Viajando com Puny sabe que nosso estilo de viagem é independente, fazendo por conta própria os passeios. Por isso, vamos contar a seguir, além de um pouco sobre o magnífico palácio, como organizamos este bate-volta, de Paris a Versalhes.
Fácil chegar até o Palácio de Versalhes após um trem desde Paris e uma caminhada de 1km até a entrada
Palácio de Versalhes

Fica localizado em Versalhes a aproximados 40km de Paris. Era o lugar de caça preferido do Rei Luís XIII, que depois de tantas idas ao local, decidiu construir o "Chateau de Versailles". Mas foi durante o reinado de seu filho Luís XIV, que o Palácio de Versalhes sofreu uma grande reforma vindo a se tornar o palácio dos dias atuais.
Luís XIV: responsável pela grande transformação do Palácio de Versalhes
Luís XIV, conhecido como Rei Sol, governou a França entre 1643 até 1715. Vivia uma vida extremamente luxuosa e encomendou a construção do Chateau de Versailles como expressão máxima do luxo e ostentação. 

Não é a toa que Versailles é considerado um símbolo do poder e riqueza do período absolutista na França.

Foi em 1661 que teve início a reforma do Palácio de Versalhes, com a ideia do Rei Luís XIV de torná-lo o maior e mais belo palácio que já existiu.
Palácio e Jardins: símbolos do poder e riqueza do período absolutista na França
O arquiteto contratado para o projeto de expansão foi Louis Le Vau. E ao longo do seu reinado, Luís XIV teve chance de testemunhar a transformação de Versalhes em um gigantesco e luxuoso palácio, palco de muitas festas que reuniram a nobreza e a corte francesa.

O palácio está classificado como um Patrimônio Mundial da Humanidade. Ao visitá-lo, você se impressiona com a parte interna, com os aposentos do rei e da rainha, a famosa Galeria dos Espelhos, a Capela Real, a Galeria das Batalhas... E os jardins de Versalhes que são realmente grandiosos.  Bem organizados e simétricos, serviram de inspiração para o Palácio de Verão de Pedro o Grande - em Peterhof, na Rússia.
Aposentos do Rei Luís XIV
Curiosidade: Palais de Versailles ou Chateau de Versailles? Em francês a palavra palais (palácio) é aplicada para os palácios construídos nas cidades. Já chateau (castelo) é aplicada para as construções nas zonas rurais. Por isso, diz-se na França Chateau de Versailles.

Comprando o ingresso:

Optamos por comprar o ingresso para visitar o palácio pela internet e foi uma boa escolha, já que não precisamos entrar na fila para comprar ingresso lá no palácio.
Comprando o ingresso pela internet você evita a fila no local
Compramos diretamente no site oficial - preço variando entre 20 e 27 euros - entre no site oficial e saiba mais informações.  

Caso você não tenha disponibilidade para acessar o palácio, tente visitar os jardins! O acesso aos jardins é gratuito.
Acesso gratuito ao Jardins
Acesso ao palácio:

Na entrada mochilas contendo alimentos serão retidas ficando sob guarda até sua saída do palácio, podendo ser retirados na ida para os jardins.

Outros itens como bolsas grandes, malas, guarda-chuvas, objetos pontiagudos, entre outros, também poderão ser retidos. 

É proibido o uso de flash e pau de selfie no interior do palácio.

Funcionamento:

O Palácio está aberto ao público diariamente com excessão das 2ª-feiras.

Horário: 9h às 17h30min

Chegando lá:

Em qualquer guichê de estação de metrô compre um bilhete conjugado que permita sua ida a Gare de Versailles - Chateau River Gauche.

Preço: 3, 65 Euros
Recomendo comprar logo o bilhete para ida e para volta, para você não ter que pegar fila, quando multidões de turistas estarão retornando pela mesma estação.

De metrô, de onde você estiver, utilizando este bilhete vá até Gare d'Austerlitiz. Lá pegue o trem RER C com destino a GARE DE VERSAILLES - CHATEAU RIVER GAUCHE.

A viagem dura aproximados 40 minutos - 14 paradas - em trem confortável.
Gare de Versailles - Chateau River Gauche
Desde a estação Gare de Versailles até o Palácio, uma agradável caminhada de 1km. Não tem como errar, já que a maioria das pessoas que desembarcam seguem com destino ao Palácio de Versalhes.

Tínhamos até mapeado alguns restaurantes na região de Versailles, mas optamos por comer na volta, em um restaurante nas proximidades de Saint Michel - Quartier Latin, em Paris.  Levamos na mochila um pequeno lanche, que fizemos apreciando os Jardins de Versailles. 


Para ler mais sobre Paris e outras cidades francesas, entre aqui

2 comentários:

  1. Matéria muito elucidativa, principalmente, quanto a como se chegar ao Palácio. É como sempre, bem escrita. Fotos lindas!

    ResponderExcluir

O que você achou desta matéria? Compartilhe aqui sua experiência com outros leitores!