quarta-feira, 12 de agosto de 2020

Embarque de cruzeiro em Veneza, na Itália

Viagem em Outubro/2019

Dizem que se você não conhece Veneza ainda, deve visitá-la antes que a cidade afunde. Não sei se isso realmente acontecerá, mas nos últimos anos as inundações foram mais críticas.  A Basílica de São Marcos, por exemplo, uma construção que teve seu início no Século XI, é um dos monumentos históricos que têm sido mais ameaçado pela "acqua alta", fenômeno de elevação das marés do Mar Adriático.

A primeira visita à cidade foi em 1995 e uma segunda viagem aconteceu no ano passado. Não fomos especificamente com o objetivo de rever Veneza, apesar desta possibilidade ter sido uma delícia! O motivo de ir novamente à cidade foi fazer o embarque em um navio de cruzeiro da Royal Caribbean

Hotel Mercure Venezia Marghera

Por isso nos hospedamos por duas noites no Hotel Mercure Venezia Marghera. Na verdade, nossa reserva original tinha sido feita em um Novotel, na Ilha de Murano.  Mas o mesmo mudou de rede e seus preços ficaram exorbitantes. Tínhamos utilizado pontos no programa All Accor Live Limitless e os mesmos foram reembolsados. Utilizamos parte deles para a nova reserva, de duas noites, no Mercure

Hotel Mercure Veneza Marghera

Leia aqui matéria explicando um pouco das vantagens de se utilizar os pontos do cartão de crédito e outros  benefícios adquiridos em programas de lealdade em companhias aéreas ou redes hoteleiras. 

O Mercure Venezia Marghera fica no continente, no bairro Marghera, a 19 minutos de ônibus do centro histórico. A experiência de hospedagem não poderia ter sido melhor, pois estar fora de áreas turísticas centrais e poder pegar o transporte público local, é uma ótima forma de conhecer mais a fundo a população, suas casas, mercadinhos e hábitos de vida. Além disso, esse Mercure permitiu um ótimo conforto, por um preço bem mais acessível. Quarto excelente e café da manhã melhor ainda. Pessoal muito simpático!

E o melhor de tudo: o hotel tem uma laundry, o que foi precioso para nós depois de vinte dias viajando pela Europa. Na época foi uma cortesia! Não cobraram nada para que utilizássemos a máquina de lavar e secar roupas.

A delícia de caminhar pelos bairros residenciais

Como chegamos

Chegamos em Veneza, na Itália, quase meia noite, em um trem proveniente de Viena, na Áustria. Uma viagem que era para durar sete horas e quarenta minutos, durou aproximadamente onze horas. Em breve contaremos esta aventura aqui no Viajando com Puny!

Um dia revendo Veneza

No dia seguinte a nossa chegada em Veneza, cedo tomamos o café da manhã e saímos por Marghera admirando um pouco do bairro, até chegar ao ponto de ônibus em Trieste Bosco. Pegamos um ônibus até as proximidades de Santa Croce, no centro histórico de Veneza

Vaporeto (ônibus barco) já é uma diversão, até a Piazza San Marco

Lá pegamos o Vaporeto Ferrovia B (um ônibus barco) que nos levou até Piazza di San Marco.  O objetivo foi dali caminhar aproximadamente dois quilômetros de volta ao ponto de ônibus, para retornar ao hotel. E no meio do caminho ir apreciando lentamente o tanto que Veneza tem a oferecer. 

O trajeto navegado pelo Vaporeto por si já é um passeio turístico, permitindo as bonitas paisagens oferecidas pelas águas do Adriático, em contraste com as ilhas ao redor. 

Desembarcar na Praça e Basílica de São Marcos foi refrescante. Imagina-se que não há deslumbramento em rever lugares já conhecidos. Mas é impossível não se deslumbrar com Veneza

Piazza di San Marco: um espetáculo arquitetônico

O ganho de idade tem suas vantagens, permitindo um olhar mais observador, analista e crítico, tornando um deleite poder rever a Basílica San Marco, o Palazzo Ducale, a Torre do Relógio e a Torre Campinale, com os sinos da basílica. 

Assombrei-me ao perceber que as passarelas improvisadas em madeira, que tinha visto em 1995, um artifício para driblar as inundações, tornaram-se agora estruturas mais altas, confeccionadas em metal, e pareciam ser um artifício permanente, montado ou empilhado por toda a praça. 

Certas coisas não mudam, mas aumentam: o comércio de ambulantes com artigos venezianos que encantam os turistas. As máscaras de carnaval, suvenires relacionados aos canais, gôndolas, cristais de Murano, entre outros. 

Comércio tradicional com Café Florian, no entorno da Piazza di San Marco

Ignoramos tudo isso e seguimos passando pela Ponte dos Suspiros, pelo cais com as gôndolas enfileiradas, aguardando os turistas deslumbrados. Atravessamos a Piazza di San Marco, passando pelo seu tradicional Café Florian e as lojinhas igualmente antigas, abrigando um comércio variado, incluindo  galerias de artes. 

Nos perdemos pelas ruelas das proximidades, algumas com um comércio sofisticado de marcas, outras oferecendo restaurantes, cafés e boutiques de guloseimas como chocolates, até chegar a Ponte di Rialto, um dos símbolos de Veneza. Atualmente é uma área que abriga um comércio popular. Mas o melhor mesmo é poder admirar a ponte de arquitetura italiana, a mais antiga sobre o Grande Canal. O local é lotado de turistas, aliás, como praticamente toda Veneza

Ponte di Rialto e outros achados

Seguimos meio perdidos, meio achados no trajeto orientado pelo Google Maps. Hoje em dia é tudo muito facilitado pela internet, quando a falta de um mapa não faz diferença se você tem um celular na mão. 

Passamos por recantos encantados, admiramos a quantidade de gôndolas enfeitadas, com os turistas alegres aboletados em suas poltronas. Nos deliciamos com a arquitetura dos prédios até chegar a um dos restaurantes pesquisados, com comida boa, ambiente legal e preço justo: o Orient Experience, servindo comida marroquina. 

Tudo bem que era nosso primeiro dia na Itália, mas deixamos para saborear as massas e outras guloseimas nas muitas outras oportunidades que estavam por vir. 

Canolis italianos e comida marroquina do Orient

Gostaríamos de ter ido a Ilha de Murano, mas a preguiça de ir a todo lugar foi mais forte. Retornamos ao hotel com objetivo de lavar a roupa para, no dia seguinte, fazer o embarque no navio Rhapsody of the Seas, da Royal Caribbean. 

Embarque e desembarque em cruzeiro no porto de Veneza

Embarque: desde o hotel pegamos um táxi que nos levou diretamente ao porto, para o cais de embarque do navio Rhapsody of the Seas. 

Desembarque: no dia do desembarque tínhamos marcado um trem saindo da Estação de Santa Lucia, em Veneza, com destino a Florença

People Mover: transporte para sair do porto de Veneza

People Mover: por isso, utilizamos o People Mover, uma forma agradável e econômica para sair do porto. 

Como usar:

Procure pela estação do People Mover ao sair do cais. Na base da estação, que tem a plataforma de embarque no piso superior, você encontrará máquinas de bilhetes que têm quatro possibilidades de idiomas e aceitam notas de Euro ou cartão de crédito. Compre seu bilhete e dirija-se para as catracas, que se abrirão com a apresentação do código de barras do bilhete. Suba para o piso superior através das escadas ou elevadores e aguarde o próximo trem (mostrador digital mostrando horário de saída) que te levará para fora do porto. Na época da viagem pagamos 1,50 Euros por pessoa. 

Lembrando que com malas pesando menos de 10 quilos, todo tipo de deslocamento fica relativamente mais fácil!

Descemos bem próximo à Estação de Trem de Santa Lucia, de onde seguimos viagem com destino à cidade de Florença

Assista abaixo uma produção do Viajando com Puny para o You Tube:
Caso não consiga abrir o vídeo pelo mobile, vá ao fim desta página e acesse a matéria no modo "visualizar versão para web".
A moeda utilizada na Itália é o Euro.

Leia outras matérias a respeito de cidades italianas AQUI.

Leia sobre outra viagem a Veneza, em 1995, AQUI.

Se você tiver alguma dúvida ou dica que possa ajudar outros viajantes, deixe lá nos comentários. Teremos o maior prazer em responder o que estiver ao nosso alcance!

Leia o livro Vivendo Bem com o que Você tem, de minha autoria, e aprenda como administrar as finanças, de modo que sobre uma parte de suas economias para você poder viajar.

Vivendo bem com o que Você tem não vai torná-lo um indivíduo rico, mas vai ajudá-lo a administrar suas finanças no dia a dia, controlando suas despesas nos momentos de bonança ou escassez.

2 comentários:

  1. Maravilhoso o site
    JÁ estive em Veneza mas recordar tudo tantos anos depois e mt interessante
    Viajei no tempo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita, Marina! Bom saber que foi bom recordar. Veneza é realmente digna de boas lembranças. Beijos para você! Adriana

      Excluir

O que você achou desta matéria? Compartilhe aqui sua experiência com outros leitores!