segunda-feira, 28 de dezembro de 2020

Problemas em viagens de trem

Por: Adriana Aguiar Ribeiro

Nesta matéria vamos abordar as reclamações por problemas em trem. Nunca imaginei escrever acerca deste assunto, já que o trem é um dos nossos transportes preferidos e não imaginávamos que poderia dar problemas em suas viagens. 

Inclusive já escrevi matéria enaltecendo e dando muitas dicas sobre viagens de trem pela Europa, apesar de ter escrito também sobre os cuidados que devemos ter com nossos pertences, pois já fomos testemunhas de furtos em alguns trechos.

Já viajamos de trem por mais de quinze países pela Europa e também pelo Canadá e podemos dizer que problemas em trem são raros, mas no último ano aconteceram em dois casos relatados abaixo.

Embarque no trem de Bruxelas para Paris

Bate volta Paris-Bruxelas-Paris

Compramos um bilhete de ida e volta com a companhia férrea Thalys para fazer um bate-volta de Paris à Bruxelas, na Bélgica.

A viagem de ida foi pontual, saindo de Paris Gare Du Nord às 7h55min e chegando em Bruxelles-Midi às 9h17min. 

O retorno, com horário de saída programado para às 17h43min, saiu pontualmente e deveria chegar em Paris às 19h11min. Porém, após uns 40 minutos de viagem o trem parou. Nos primeiros minutos parecia uma parada normal, para esperar algum outro passar. Isso aconteceu no meio do nada, no campo, com poucas casas à vista. Depois de um tempo foi avisado no alto-falante que havia uma pane elétrica nas locomotivas. 

O trem ficou por quase três horas parado e sem energia nos vagões, tendo esquentado bastante em seu interior. A cada trem que passava uma grande pressão e balanço era sentido. Algumas pessoas, talvez moradores locais, apareceram perto dos trilhos para fotografar o trem. Não era possível abrir as portas para compensar a falta de ar condicionado, por medidas de segurança, segundo informaram. 

Muitas informações desencontradas aconteceram até anunciarem que retornaríamos a Bruxelas.

Raramente trens dão problema em viagens

Até então o atendimento estava sendo feito pelo pessoal de bordo. Mas ao chegar de volta na estação Bruxelles-Midi, percebemos que havia todo um esquema montado e o pessoal de atendimento ao cliente estava assumindo. O trem parou ao lado de outro com a mesma configuração de vagões e todos os passageiros foram instruídos a mudar de trem, indo para o mesmo vagão e assento marcado no bilhete.

Havia também um pessoal preparado para auxiliar àqueles que precisavam de informações e auxílio com sua bagagem. Como fazíamos um bate-volta, não tínhamos nenhum volume conosco e foi tudo muito simples. 

Já no interior do trem, agentes da companhia informavam que havia jantar disponível para todos, no carro restaurante. Observamos que as pessoas, até então educadas e comedidas, movimentaram-se freneticamente em busca de comida. 

Além do jantar, ofereceram bebida e informações para os que teriam conexões para fora de Paris e para aqueles que tinham a cidade como seu destino final. Informaram também que cada passageiro receberia um e-mail da Thalys informando como pedir o reembolso do valor pago no bilhete Bruxelas-Paris. Aqueles que tivessem necessidade de pegar táxi para seu destino final em Paris poderiam solicitar o serviço a companhia, ao chegar em Gare Du Nord. Chegamos em Paris perto da meia-noite, com quase cinco horas de atraso. 

Como nosso hotel ficava a poucas paradas de metrô da Gare du Nord, apenas nos informamos se o metrô seria seguro e estaria aberto naquele horário. Informaram que sim. Em 15 minutos chegamos ao hotel.

No dia seguinte recebemos um e-mail da Thalys com orientações para solicitação de reembolso e, em menos de um mês, o valor pago na passagem foi reembolsado em nosso cartão de crédito. 

A Thalys foi muito correta e ágil  no pós vendas, dando a atenção merecida ao cliente. Apenas nas primeiras horas que o pessoal do trem mostrou-se despreparado para lidar com a situação de emergência. Mas imprevistos em viagens acontecem. 

Plataforma de embarque de Viena para Veneza
Viagem de Viena à Veneza

Estávamos empolgados para iniciar a viagem trem de Viena à Veneza, que teria uma duração de quase oito horas. 

Chegamos em Haupbanhof Wien para embarcar no trem da companhia OBB com saída programada para às 12h25min e chegada em Veneza Mestre às 20h05min. O percurso é muito bonito e vale muito a pena. 

Você poderá assistir abaixo uma produção mostrando um pouco das belezas dessa viagem. 


Caso não consiga abrir o vídeo pelo mobile, vá ao fim desta página e acesse a matéria no modo "visualizar versão para web".

A viagem corria muito bem até que na primeira parada na Itália, em Tarvisio Boscoverde, o trem não ligava mais. Não acreditamos que estávamos vivendo mais uma pane em trem no mesmo ano. Sim, estava acontecendo. Desta vez estávamos parados em uma estação, mas ninguém desceu para mais longe pois havia o temor de o trem retomar o funcionamento e ir embora deixando para trás seus passageiros. E assim passaram-se aproximadamente quatro horas, com vagas informações sobre uma troca de peça no trem. 

Mais tarde oficiais passaram nos vagões fazendo anotações nas passagens e informando que aquele manuscrito seria a prova necessária para que pedíssemos reembolso. Ofereceram uma bebida e um pequeno lanche (snack) para cada passageiro. 

Chegamos novamente perto da meia noite, desta vez em Venezia Mestre, de onde pegamos um táxi para o hotel. 

Apesar dos imprevistos, trem ainda é um dos meios de transporte mais tranquilos

Quase um mês depois, ao retornarmos ao Brasil, entramos em contato com a OBB por e-mail para pedir reembolso da passagem e do valor gasto com táxi em Veneza. Desta vez os trâmites foram bem mais burocráticos, já que pediram que enviássemos os bilhete com o manuscrito por correio, não aceitando documento eletrônico. Uns dois meses depois fomos informados que o processo estava encerrado e deveríamos informar um número de conta corrente em nosso banco no Brasil. Eles não faziam o reembolso no cartão de crédito. 

Após mais um mês recebemos aviso de crédito em conta corrente, da OBB, mas para nossa surpresa, o desconto feito aqui no Brasil referente a taxa para operação de crédito em moeda estrangeira foi tão alto, que não recebemos praticamente nada. 

Enfim, o pós vendas da OBB acabou sendo trabalhoso, burocrático e insatisfatório. Apesar de ser uma boa companhia, precisa modernizar seu atendimento ao cliente. 

Apesar dos incidentes aqui relatados, se nos perguntarem se isso mudou nossa impressão a respeito de viagens de trens, seguramente diremos que não.  

Para ser feliz durante a viagem é sempre bom estar preparado para os imprevistos!

Leia aqui sobre que bagagem levar em uma viagem de trem. 

E você? O que acha das viagens de trem? Já passou algum problema? Conte para a gente aqui nos comentários!

Leia o livro Vivendo Bem com o que Você tem, de minha autoria, e aprenda como administrar as finanças, de modo que sobre uma parte de suas economias para você poder viajar.
Vivendo bem com o que Você tem não vai torná-lo um indivíduo rico, mas vai ajudá-lo a administrar suas finanças no dia a dia, controlando suas despesas nos momentos de bonança ou escassez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou desta matéria? Compartilhe aqui sua experiência com outros leitores!